Por detrás da tela branca, os quadros de Titus Kaphar



Titus Kaphar (EUA, 1976) é um pintor, escultor e artista plástico contemporâneo.


Ao trabalhar não só com a pintura mas também com o suporte da obra, Titus Kaphar propõe um interessante desvelamento semiótico: ao cortar as telas, virá-las do avesso e desconstruir as molduras, o artista questiona, pela ação direta na materialidade do quadro, o representação hegemônica e etnocêntrica de sujeitos brancos, assim como reivindica a visibilidade e o protagonismo de negros e negras na História. Sendo ela o discurso dos vencedores – predominantemente brancos, homens, letrados e heterossexuais – cabe ao artista uma leitura a contrapelo cuja potência é desmascarar, revelar e expor justamente o que foi jogado para atrás do registro histórico.


Exemplifica isso o quadro Behind the Myth of Benevolence (2014): nele, está retratado o presidente estadunidense Thomas Jefferson. Ao retirar a tela na qual está pintado esse presidente, é possível ver Sally Hemings - mulher negra escravizada e de propriedade de Thomas Jefferson - simbolicamente escondida. O quadro, assim, não é apenas uma pintura sobre pintura: trata-se de uma revisão do jogo de discursos sobre discursos.


Cada quadro de Titus Kaphar é uma reescrita crítica de narrativas, um reexame de representações – tanto históricas quanto estéticas – que inclui sujeitos que foram apagados e obliterados em nome de uma História moldada de forma a nos fazer entende-la erroneamente como construída – e pintada – a partir de uma única cor.


Para conhecer mais, acesse: https://kapharstudio.com/












Oficina Palimpsestus - 2020. Todos os direitos reservados.